fazer sal na figueira da foz


ahcravo_DSC7229 s.jpg

em 2016 e 2017 fotografei o salgado da figueira – morraceira e armazéns de lavos.
aprendi os termos”chave da faina e conheci quase todos os marnotos, ou marronteiros.
das diferentes fases do trabalho de fazer sal. mão amiga recolheu neste registo o essencial, dotou-o de música e fez este foto filme.
palavras chave: talho, ugalho, rer, achegar, mexer, cumbeirar, enfeitar.

os moliceiros têm vela (366)

os moliceiros têm vela (366)


bota abaixo de “O Conquistador”

_DSC8846.jpg

a 30 de junho de 2019 a ria recebeu mais um moliceiro tradicional: “O Conquistador”.
 
mandado fazer por márcio nunes e domingos mole, sem quaisquer apoios financeiros que não os dinheiros próprios, foi construído por marco silva e pintado por josé manuel oliveira.
 
neste registo fica a memória do bota abaixo

 

menções honrosas


ao longo dos anos tenho espalhado as fotos que vou fazendo por vários grupos e plataformas de fotografia, de variados países e tipos.
no face publico em cerca de 50 grupos, num deles tenho recebido algumas menções honrosas pelas fotos que publico, o que dá mais visibilidade ao que pretendo
DIVULGAR A NOSSA GENTE E A NOSSA TERRA
mão amiga sentiu as fotos como se eu, seleccionou-as, adicionou mais algumas, juntou-as, editou-as e dotou-as de uma música adequada, ou seja, produziu um pequeno filme, este que estão a ver.
espero que gostem

lutar é viver


ahcravo_DSC_5152 marco 09 s bw
mais um vídeo feito nos estados unidos, com fotografias minhas e selecção, edição e produção em vídeo de joão nascimento.
um abraço entre os que emigraram e a terra que é sua, por laços familiares ou origem. no caso do joão, que é da região de castelo branco, foi pelo casamento que a torreira, a murtosa, a ria, o mar, lhe entraram no ser.
impressionou-me a forma como o joão seleccionou as fotos, como se as sentisse. é um prazer ter amigos assim
melhor ver

bateiras_o foto vídeo


um vídeo feito nos estados unidos, com fotografias minhas e com selecção, edição e  produção em vídeo de joão nascimento.
um abraço entre os que emigraram e a terra que é sua, por laços familiares ou origem. no caso do joão, que é da região de castelo branco, foi pelo casamento que a torreira, a murtosa, a ria, o mar, lhe entraram no ser.
impressionou-me a forma como o joão seleccionou as fotos, como se as sentisse. é um prazer ter amigos assim
melhor ver
dia de portugal 2019

dia de portugal 2019


SONY DSC
9 de junho, mais um dia na minha vida em que tudo se cumpria de acordo com o habitual: abrir os olhos, ver o dia pela fresta deixada no estore, ligar-me ao mundo – ou seja activar o wifi do smart – ir à cozinha ao pequeno almoço e ver as novidades na net.
havia uma mensagem no messenger, um vídeo e uma pergunta por debaixo: “Dia de Portugal, concorda?”.
o remetente era João A Nascimento, não era meu amigo no face, mas nada é impossível, fui ver o perfil e espantei-me: natural de castelejo, castelo branco, a viver em east freehol, estados unidos.
abri o vídeo e não me contive, estava ali muito de mim, um grande amigo e o nosso mar.
depois de algum diálogo escrito e falado, esclarecidas algumas questões, fixámos o título do filme e fizemo-nos amigos no face.
9 de junho de 2019, não o vou esquecer, há dias em que merece a pena estar vivo e em que mereceu a pena ter vivido e feito o que fizemos.
o joão fez-me sentir que não foi em vão que fui registando momentos da vida da torreira, ter amigos e ter estado vivo a fazer aquilo de que sempre gostei.
o joão, de castelo branco, nos estados unidos, fez-me sentir que valeu a pena, que vale a pena.
o joão fez-me sentir que ser do mundo é ser daqui e levar este aqui ao mundo
BEM HAJAS JOÃO NASCIMENTO
o vídeo está aqui

“Os anos de Trump” nas 5as de leitura

“Os anos de Trump” nas 5as de leitura


60381356_687608751697279_5586777872476930048_n

na sessão aqui registada eduardo paz ferreira apresentou o seu último livro ” Os anos de Trump”.
sobre o autor consulte-se a página da faculdade de direito da universidade de lisboa a ele dedicada
ou esta breve síntese na página da wook
“Cidadão europeu, nascido nos Açores, a região mais distante do centro da Europa, Eduardo Paz Ferreira é, desde sempre, um europeísta convicto que dedicou uma parte significativa da sua vida profissional e académica aos temas europeus. Com 23 anos, chefiou o Gabinete do Ministro dos Negócios Estrangeiros do Primeiro Governo Constitucional, Medeiros Ferreira, e, a esse título, integrou muitas das conversações bilaterais prévias à entrega do pedido de adesão. Professor Catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, é decano do grupo de ciências jurídico-económicas e membro do Conselho Geral da Universidade. Preside ao Instituto Europeu e ao Instituto de Direito Económico, Financeiro e Fiscal, onde vem promovendo inúmeras iniciativas sobre temas europeus. Publicou diversos artigos e livros sobre essas matérias. É catedrático Jean Monnet, distinção atribuída pela Comissão Europeia.”
o essencial do registado em vídeo