olhar as gentes do mar e da ria – uma parceria transatlântica (2)


pensa-te

a realidade não é o que
escreveste
fotografaste
pintaste

muito pouco seria
se só isso

registas
apenas parcelas do todo
crias um novo real
és por isso responsável
pelo teu mundo
é teu

oferta tua 
aos outros
cuida do teu
jardim

pensa-te

a escolha das fotos e do poema foi feita no estados unidos

os amigos da terra, da terra são porque dela gostam e, por vezes, oferecem-nos prendas assim

ficam na sombra porque sempre ficaram, são amigos muito especiais

abraço-os

A Arte Cabrita Baixa


o filme foi produzido e realizado pela PlexoFilm, nele participo com o poema e a sua dicção

cabrita baixa ou a dança da ria

na placidez das águas
caminham
arrastam mais que o corpo
o peso do pão
 
cerram os dentes
apertam os punhos
sofrem
muito
 
porém
dançam
dizes tu que vês
e não entendes
 
do fundo da ria
vêm os bivalves
do fundo das gentes
forças desconhecidas já
é tempo de safar o ano
 
dirás que dançam
dir-te-ei que esta é outra
forma de sobreviver