crónicas da xávega (352)


o homem
0 ahcravo_ DSC_3051 s

torreira; 2013

 
democráticos vos digo
de tão diversos
 
os que sombra projectam
e são a luz silenciosa
 
os que passam e nem se sabem
e existem porque sim
 
os tantos tão piquenos e reles
que nem pisá-los pois sujos
ficamos de ignorar são
 
bem pode quem vos fez
limpar as mãos à parede
como diz o povo
 
como drummond questiono
“que coisa é o homem?
existe o homem?”
 
na areia da praia um homem
tenta salvar a espécie
 

os moliceiros têm vela (417)


1 de agosto de 2020, regata do emigrante, um olhar
0 acravo_DSC4078

o bruno daniel e o mestre zé rito

 
não foi ao domingo, foi no sábado, também não foi o percurso habitual, mas foi no bico. não estamos num ano comum, esperemos que não se prolongue.
 
uma regata de moliceiros é sempre um espectáculo e esta foi um grande espectáculo.
mas dentro dos moliceiros vão homens, homens que compraram moliceiros, homens que os fizeram.
 
este ano, em que perdemos um moliceiro para os canais de aveiro, ganhámos mais um “moliceiro” , o bruno daniel marçal dias que comprou o moliceiro do mestre zé rito. um jovem. mais um.
 
e é de jovens que quero falar, não os contei, mas em quase todos os moliceiros havia tripulantes jovens a mostrar ao resistente, ti zé rebeço, que os moliceiros continuam, haja vontade e apoio de quem decide – e este ano houve.
 
espero em 2021, voltar a ver a frota de moliceiros reposta – verdade, mestre zé rito?
 
parabéns bruno daniel – esta já é a tua segunda regata – aprendeste, como alguns mais velhos ainda não aprenderam, que não se pode ganhar sempre, que as regatas são uma festa, que há erros mas que não são propositados, que nas festas só pode haver festa, que o importante é participar e fazer da ria aquilo que ela merece: um lago de cisnes.
 
(torreira; 1 de agosto de 2020)

os moliceiros têm vela (414)


hoje ontem amanhã
0 ahcravo_DSC3738

torreira; regata da ria; 2020; ti zé rebeço

 
sabes que o teu tempo
passou
ainda não completamente
mas
 
os teus olhos vêem por dentro
das coisas e são a memória delas
 
não queres o regresso ao passado
mas que ele se sente contigo à mesa
com amigos mais jovens
a quem passes testemunho
 
o que os teus olhos viram
toda uma geração que viu
 
és ainda
olhas a ria não como
se te despedisses
mas bebendo do copo
até à última gota
 
sentemo-nos
há gente a chegar
à tua mesa
 

os moliceiros têm vela (413)


a outra regata
0 ahcravo_DSC3748

torreira; regata da ria; 2020

 
é esta a marca do dia
do ano
que esperamos
este só
 
a memória faz-se de
pequenas coisas
e de grandes gestos
 
há tantos meses
abraço nenhum
 
escrevo o dia
e o nele ter estado
dentro de um abraço
os amigos maiores
 
escrevo o dia
esperando escrita diversa
 
um tempo outro
sem máscaras
libertos afectos
 
até lá o que foi será
e não o apagarei
mascarando as máscaras