“não há coincidências”, uma estória a três


ahcravo_DSC_5594_quase_jnlreu

joaquim namorado, leonora rosado e eu, estórias de quem esteve – e ainda está – vivo

 

“O dia da Criação” (I e II) de vinicius de moraes


ahcravo_DSC_5594_quase_odidacriac_vm

os conjuntos I e II do poema “O dia da Criação” fazem parte do livro “Poemas, sonetos e baladas” e constam da antologia poética e de tantas outras selecções de poemas de vinicus de moraes

(há 40 anos que vinicius partiu. saravá vinicius!)

 

os moliceiros têm vela (413)


a outra regata
0 ahcravo_DSC3748

torreira; regata da ria; 2020

 
é esta a marca do dia
do ano
que esperamos
este só
 
a memória faz-se de
pequenas coisas
e de grandes gestos
 
há tantos meses
abraço nenhum
 
escrevo o dia
e o nele ter estado
dentro de um abraço
os amigos maiores
 
escrevo o dia
esperando escrita diversa
 
um tempo outro
sem máscaras
libertos afectos
 
até lá o que foi será
e não o apagarei
mascarando as máscaras
 

os moliceiros têm vela (412)


da regata da ria 2020
0 ahcravo_DSC9653

regata da ria 2019; ti abílio carteirista

 
a regata da ria 2020 foi uma boa regata, embora sendo feita contra a maré, o vento foi bom – levou até alguns a mudar de vela – e em cerca de 1h40m estava concluída.
 
10 moliceiros de classe A e 2 de classe B. inteligente a decisão da associação náutica da torreira de dar partida em primeiro lugar aos moliceiros de classe B – mais lentos – e só minutos depois aos de classe A.
 
apenas um moliceiro ficou pelo caminho e é para ele o meu abraço, porque dos que ganham se fala, mas aos que o azar atingiu, só o silêncio e o desalento acompanham. ainda por cima para quem participa pelo prazer de velejar, sem quaisquer pretensões de vencer. acontece. por isso o meu abraço.
 
uma regata pode ser vista de muitas formas: a da beleza da ria engalanada; dos painéis … tanta beleza que os olhos captam e as máquinas registam.
 
e a regata dos homens que vão nos moliceiros e que são cada dia menos moliceiros. ainda bem, porque rejuvenescida a equipagem da frota e mais promissor o futuro, pena porque a vão abandonando os “velhos moliceiros”.
 
esta foi a primeira regata que acompanhei e em que não participou o ti abílio fonseca (carteirista) e o seu “dos netos”, e também o ti zé caneira não foi arrais do moliceiro da câmara municipal da murtosa.
 
esta foi também a primeira regata do bruno dias, que comprou o moliceiro “zé rito”.
 
junto os três no mesmo abraço, o que foi criou as raízes do que vem, ambos merecem o respeito e o reconhecimento de quem não anda nisto “só pelos bonecos”.
 
a regata da ria 2020 foi uma boa regata, as fotos já publicadas por muitos assim o demonstram, a reportagem de uma televisão é elucidativa. eu, com a calma que os anos trazem, só quero que haja mais regatas, mais apoios, mais gente que aceite o desafio e que os moliceiros continuem a navegar em ria aberta.
 
as fotos que fiz na regata estão à espera que eu dê ordens.
 

a beleza do sal (85)


mexer
0 ahcravo_DSC3632 s

ilha da morraceira; mexer; 2020

sábado 27 de junho de 2020
na morraceira já se mexia
e eu fiz a primeira foto do ano
há três anos
quando comecei a fotografar o salgado
de forma diversa foi com o mesmo marronteiro
esperemos que seja uma boa safra para todos
e que haja quem queira registar esta arte
(“agora o sal está a trabalhar para ele”, disse-me o zé quando acabou de mexer e eu me despedi)