postais do arroz (12)

postais do arroz (12)


arroz, o oiro do baixo mondego (sementeira manual em zona não emparcelada)

falo ainda das mãos
quando tas dou
em silêncio

sim
no silêncio mais íntimo
onde mãos com mãos
se dizem
o que palavras
jamais

falo ainda das mãos
falarei sempre
condenação
de as ter

borda do campo; 2019

morreu otelo nuno romão saraiva de carvalho


muitos terão tido a ideia, alguns terão dado conteúdo ideológico, outros contribuído com a acção, mas só um tornou possível a concretização, através de um brilhante trabalho de planeamento e logística, otelo.

se o 25 de abril teve um herói e um líder foi otelo nuno romão saraiva de carvalho

https://www.record.pt/fora-de-campo/detalhe/morreu-o-capitao-de-abril-otelo-saraiva-de-carvalho
otelo!
nuno!
romão!
saraiva de carvalho!

era este o poema musicado
que corria pelas ruas
brotava das bocas que o sonho alimentava

no sonho que a memória
não deixa morrer
aos que não esquecem
nunca deixarão de ser

otelo!
nuno!
romão!
saraiva de carvalho!

torreira, um outro olhar (16)


dizer
o teu nome
o nome de todas as coisas
as coisas que cada nome encerra

dizer
tantas vezes a mesma palavra
até que ela perca o sentido
e a sua ligação com a representação

dizer
como é doloroso o parto
das palavras
que ainda não disse
ou se disse como as escrevi

dizer
tanto em tão pouco
ser imenso e ínfimo
límpido e complexo

dizer
com palavras amo
e escutá-las
na boca do outro

torreira; 11/07/2021

os moliceiros têm vela (461)


regata da ria 2021 – uma viagem

entrados no canal de aveiro, com o norte por bombordo os moliceiros dão um ar da sua graça

se importante, para quem concorre, é ganhar a regata, para quem gosta do BARCO MOLICEIRO o importante é que que haja MOLICEIROS para a fazer. e este ano já só foram sete os de classe A.

aveiro; 03/07/2021

os moliceiros têm vela (460)


regata da ria 2021 – uma viagem

um dos momentos mais emocionantes, pela espectacularidade e perícia que exige de toda a tripulação é o "cambar" - movimento em que o moliceiro muda de rumo e passa a apanhar vento pelo bordo contrário.
 
no caso da regata da ria o "cambanço" dá-se no molhe da pedra, quando os moliceiros deixam o canal principal e entram no canal de aveiro em direcção à eclusa.

como se pode ver na imagem o vento não era muito, mas se olharem bem vêm a alteração da posição da vela, antes e depois de passar o molhe.


nota - não vou à terminologia náutica por não a dominar e limito-me a descrever em palavras simples o que os olhos captam. os especialistas que me desculpem, mas sou apenas fotógrafo e...

s. jacinto; 03/07/2021