rui miguel fragas no dia do autor português, 2018


_DSC8590

Rui Miguel Fragas, pseudónimo de António Rui Féteira, nasceu em São Miguel de Poiares (Coimbra).

Licenciou-se em filosofia na Universidade de Coimbra.

É professor na escola secundária Dr. Bernardino Machado, na Figueira da Foz. Actor fundador do “Pateo das Galinhas” – grupo de teatro experimental da Figueira da Foz. Publicou alguns poemas e contos nas revistas Alma Azul, Aeroplano e InComunidade.

Tem 4 livros de poesia publicados: “O Nome das árvores” (Poética Edições, 2014), “Não sei se o vento” (Poética Edições, 2015) “O rumor das máquinas” (UA Editora,Universidade de Aveiro, IV Prémio Literário Aldónio Gomes, 2015) e “No Húmus”, em 2017 é o primeiro em edição de autor . Participou na antologia de poesia “As Vozes de Isaque, Derivações Poéticas a partir da obra O Último Poeta” (Poética Edições, 2016). Em 2017 venceu a VII edição do Concurso de Poesia na Biblioteca (Condeixa-a-Nova) e publicou uma antologia de contos: “A última rodada” (Poética Edições, 2017).

No dia dia 22 de Maio de 2018, fez várias sessões de apresentação de autor, de que fica o registo da realizada na escola secundária Dr. Bernardino Machado, na Figueira da Foz:

“Volta a Portugal” nas 5as de leitura


500x

«Volta a Portugal» na sessão de maio das «5as de Leitura»

A sessão de Maio do projecto de incentivo e promoção da leitura «5as de Leitura» conta com a presença de Álvaro Domingues e do humorista, guionista e apresentador de televisão, João Moreira, conhecido, sobretudo, pelo seu trabalho com a personagem Bruno Aleixo, de quem é co-criador e a quem dá voz.

Álvaro Domingues, geógrafo e professor na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, onde também é investigador no CEAU-Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo, vem apresentar o seu mais recente livro «Volta a Portugal», um “ verdadeiro Google Maps da portugalidade”.

(do convite)

biografia e biliografia de Álvaro Domingues

– Álvaro Domingues (Melgaço, 1959) é geógrafo e professor na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, onde também é investigador no CEAU-Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo. Para além das suas funções docentes na Universidade do Porto e noutras universidades publica com regularidade sobre temáticas relacionadas com a geografia urbana, o urbanismo e a paisagem.

obras publicadas: Políticas Urbanas; A Cultura em Acção
Impactos sociais e território; A Rua da Estrada; Vida no Campo; Volta a Portugal

https://www.wook.pt/autor/alvaro-domingues/28657

João Moreira (Coimbra, 3 de dezembro de 1980) é um humorista, guionista e apresentador de televisão português. É conhecido, sobretudo, pelo seu trabalho com a personagem Bruno Aleixo, da qual é co-criador.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Moreira

Uma sessão muito animada, dominada pela forma irónica da abordagem feita pelo autor à temática em debate: o território.

como Álvaro Domingues confessou no final da sessão, esta apresentação foi “atípica”, porque não se falou do livro – que merece a pena visitar -, mas em que se fez uma volta Portugal muito interessante (digo eu)

do acontecido fica o registo possível

 

 

joão pinto coelho nas 5as de leitura


jpc

“Prémio Leya 2017 na próxima sessão das «5as de Leitura»

A sessão de abril do projecto de incentivo e promoção da leitura «5as de Leitura», marca encontro dia 19 de abril, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal, com João Pinto Coelho, vencedor do Prémio Leya 2017, com o romance «Os loucos da Rua Mazur», uma obra que nos faz regressar à Polónia da Segunda Guerra Mundial, que “sangra feridas históricas e nos desafia a olhar o Mal onde nunca o vemos: dentro de nós”.

Biografia: João Pinto Coelho nasceu em Londres em 1967. Licenciou-se em Arquitectura em 1992 e viveu a maior parte da sua vida em Lisboa. Passou diversas temporadas nos Estados Unidos, onde chegou a trabalhar num teatro profissional perto de Nova Iorque e dos cenários que evoca neste romance.

Em 2009 e 2011 integrou duas acções do Conselho da Europa que tiveram lugar em Auschwitz (Oswiécim), na Polónia, trabalhando de perto com diversos investigadores sobre o Holocausto.

No mesmo período, concebeu e implementou o projeto Auschwitz in 1st Per-son/A Letter to Meir Berkovich, que juntou jovens portugueses e polacos e que o levou uma vez mais à Polónia, às ruas de Oswiécim e aos campos de concentração e extermínio. A esse propósito tem realizado diversas intervenções públicas, uma das quais, como orador, na conferência internacional Portugal e o Holocausto, que teve lugar na Fundação Calouste Gulbenkian.

Em 2012 publica «Perguntem a Sarah Gros», o seu primeiro romance. O seu romance seguinte «Os Loucos da Rua Mazur» foi o vencedor do prémio LeYa 2017.”

(programa das 5as de leitura)

da sessão que teve lugar no dia 19 de abril, fica o registo possível

a beleza do sal (36)


há muitos futuros

o fim da ilusão
não mata a memória
enterra um futuro

na salgadeira a carne
esperava o verão

o cozido à portuguesa
a couve do quintal
a água do poço
o frango da capoeira

já não há enguias na ria

à limpidez dos dias
nos olhos nos afectos
sabores e saberes
regresso sempre

eis agora do sal a beleza
tempero de outros dias

há muitos futuros

0 ahcravo_DSC_2180

(morraceira; rer; 2016)