a beleza do sal (114)


é dia ainda

armazéns de lavos; carregar o dumper; 2019
 é dia ainda e já se ouve
 o uivar do lobo
  
 a memória acende
 nos lábios as palavras
 guardadas quase
 esquecidas necessárias
 
 é dia ainda e já se sente
 o fedor da besta
  
 junta-se na praça a alcateia
 vindos de longe
 respondem ao chamado
 sedentos de carniça
  
 é dia ainda e já sabemos
 que o uivo o fedor
 mau prenúncio são
  
 ao engano quantos irão 

os moliceiros têm vela (435)


felizes

ria de aveiro; regata da ria; 2013
correm atrás do vento
da glória talvez
 
sonham-se o infinito
presos à terra
 
de tão grandes não
cabem em si
 
admiro-lhes as certezas
os juízos sábios

felizes não se sabem  
presumem-se 

quedo-me em silêncio
de tão pouco ser