postais da ria (238)


cipriano

0 ahcravo_DSC_6917 s

cipriano brandão e a esposa aurora (2012)

estás aqui
mesmo que não estejas
em mais nenhum lugar
estás aqui

olhar o rosto de um amigo
é lembrar estórias
é estarmos vivos
num mundo que é só nosso

o da memória comum

0 ahcravo_DSC_6917 sep1

cipriano brandão e a esposa aurora (2012)

(torreira; safar redes; 2012)

Anúncios

a dança das redes


quem safa as redes, safa a vida?

depois de largar e alar
safar peixe se houver
há que safar e arrumar as redes
são muitas as horas
para tão pouco ganho

falo da solheira

postais da ria (227)


iludi-me

0 ahcravo_DSC_2461 bw

torreira, 2016_o arrumar das redes da solheira

da estrada larga
dos luminosos caminhos
infinitamente breves
o maior está feito

o sonho a ilusão
aquilo que me fez correr
hoje nada mais que memória

olho para tudo
com o cansaço de ter feito
sem saber se algo feito foi

tenho a sensação de deixar
tudo como era
faz bem perder as ilusões

sempre me senti barco
mas iludi-me com o porto

iludi-me