postais da ria (399)


águas vivas

outras as artes outras redes
malhas mais finas
prenderam o sonho
o sol uma vida

o testemunho do tempo
o olhar a guardar a memória
onde agora

safam-se os dias
onde algas secas ainda

a paciência é a arte
da sobrevivência

a reinvenção dos dias
é um tempo cheio de tempo
uma navegação em águas
vivas porque revividas

(torreira; safar redes; 2019)

postais da ria (398)


mais que o nome a alcunha
conta uma história

assim os pescadores

a do henrique nunca a soube
nem é aqui lugar para

homem rico o henrique
de duas alcunhas penso
ser dono

haverás mais ricos 
de alcunhas claro

mas de voz
mais nenhum 

safa as redes como todos
não safa a vida

torreira; porto de abrigo; 2013

postais da ria (357)


sentar os amigos à mesa

0 ahcravo_DSC7872

torreira; safar redes; 2019

 
sentar os amigos à mesa
da palavra
matar a fome de estórias
 
costume português este
o da mesa e nela nos juntarmos
para no repasto sermos
 
quantas mesas se vergaram
ao peso das ideias
 
ao longo da nossa história
quantas palavras
voaram por cima de toalhas
e foram alimento
 
sentar os amigos à mesa
apenas isso
viver para esse momento
 

postais da ria (355)


os amigos de

0 ahcravo_DSC7967

torreira; jim; safar redes; 2019

 
sentava-me à mesa do café
lia poesia
 
os meus poetas à minha mesa
falavam-me
 
eu era jovem e o tempo imenso
 
sentava-me à mesa do café
sem urgências
 
as de agora com tanta fome
dos amigos de então