lutar é viver


ahcravo_DSC_5152 marco 09 s bw
mais um vídeo feito nos estados unidos, com fotografias minhas e selecção, edição e produção em vídeo de joão nascimento.
um abraço entre os que emigraram e a terra que é sua, por laços familiares ou origem. no caso do joão, que é da região de castelo branco, foi pelo casamento que a torreira, a murtosa, a ria, o mar, lhe entraram no ser.
impressionou-me a forma como o joão seleccionou as fotos, como se as sentisse. é um prazer ter amigos assim
melhor ver

bateiras_o foto vídeo


um vídeo feito nos estados unidos, com fotografias minhas e com selecção, edição e  produção em vídeo de joão nascimento.
um abraço entre os que emigraram e a terra que é sua, por laços familiares ou origem. no caso do joão, que é da região de castelo branco, foi pelo casamento que a torreira, a murtosa, a ria, o mar, lhe entraram no ser.
impressionou-me a forma como o joão seleccionou as fotos, como se as sentisse. é um prazer ter amigos assim
melhor ver
dia de portugal 2019

dia de portugal 2019


SONY DSC
9 de junho, mais um dia na minha vida em que tudo se cumpria de acordo com o habitual: abrir os olhos, ver o dia pela fresta deixada no estore, ligar-me ao mundo – ou seja activar o wifi do smart – ir à cozinha ao pequeno almoço e ver as novidades na net.
havia uma mensagem no messenger, um vídeo e uma pergunta por debaixo: “Dia de Portugal, concorda?”.
o remetente era João A Nascimento, não era meu amigo no face, mas nada é impossível, fui ver o perfil e espantei-me: natural de castelejo, castelo branco, a viver em east freehol, estados unidos.
abri o vídeo e não me contive, estava ali muito de mim, um grande amigo e o nosso mar.
depois de algum diálogo escrito e falado, esclarecidas algumas questões, fixámos o título do filme e fizemo-nos amigos no face.
9 de junho de 2019, não o vou esquecer, há dias em que merece a pena estar vivo e em que mereceu a pena ter vivido e feito o que fizemos.
o joão fez-me sentir que não foi em vão que fui registando momentos da vida da torreira, ter amigos e ter estado vivo a fazer aquilo de que sempre gostei.
o joão, de castelo branco, nos estados unidos, fez-me sentir que valeu a pena, que vale a pena.
o joão fez-me sentir que ser do mundo é ser daqui e levar este aqui ao mundo
BEM HAJAS JOÃO NASCIMENTO
o vídeo está aqui

“Os anos de Trump” nas 5as de leitura

“Os anos de Trump” nas 5as de leitura


60381356_687608751697279_5586777872476930048_n

na sessão aqui registada eduardo paz ferreira apresentou o seu último livro ” Os anos de Trump”.
sobre o autor consulte-se a página da faculdade de direito da universidade de lisboa a ele dedicada
ou esta breve síntese na página da wook
“Cidadão europeu, nascido nos Açores, a região mais distante do centro da Europa, Eduardo Paz Ferreira é, desde sempre, um europeísta convicto que dedicou uma parte significativa da sua vida profissional e académica aos temas europeus. Com 23 anos, chefiou o Gabinete do Ministro dos Negócios Estrangeiros do Primeiro Governo Constitucional, Medeiros Ferreira, e, a esse título, integrou muitas das conversações bilaterais prévias à entrega do pedido de adesão. Professor Catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, é decano do grupo de ciências jurídico-económicas e membro do Conselho Geral da Universidade. Preside ao Instituto Europeu e ao Instituto de Direito Económico, Financeiro e Fiscal, onde vem promovendo inúmeras iniciativas sobre temas europeus. Publicou diversos artigos e livros sobre essas matérias. É catedrático Jean Monnet, distinção atribuída pela Comissão Europeia.”
o essencial do registado em vídeo

 

“beto do bandolim” em 21/03/2019

“beto do bandolim” em 21/03/2019


no âmbito da sam – semana arte mulher – 2019, na figueira da foz, a animação musical nos jardins de inverno do cae, ficou a cargo da banda “beto do bandolim”.

composição da banda neste show:
 
bandolim: adalberto cavalcanti (beto do bandolim)
0_DSC6409
percursão – wilmar chagas
00 ahcravo_DSC6430 s1
viola – bruno pereira
0_DSC6434
vozes –  geraldo maia e clarisse fernandes
0_DSC6422 s
1_DSC6418_clarisse bw
 
ao longo da semana deu três espectáculos, todos eles com reportórios diferentes, no primeiro fotografei, o segundo e o terceiro, com autorização do beto, filmei.
 
com equipamento básico para gravações em zonas de luminosidade uniforme, o registo é o possível com a qualidade que se pode ver. mas era bom demais para se perder.
 
nesta gravação utilizei outra máquina mas mesmo assim os resultados não foram famosos.
 
se não gostarem da imagem, fechem os olhos e oiçam, vale a pena

luis filipe castro mendes nas 5as de leitura

luis filipe castro mendes nas 5as de leitura


54257024_653127438478744_2896044637502308352_n

Luís Filipe Castro Mendes nasceu em 1950 e, ainda muito cedo, entre 1965 e 1967, foi colaborador do jornal Diário de Lisboa-Juvenil. Em 1974, licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa e desenvolveu, a partir de 1975, uma carreira diplomática, tendo nomeadamente sido Cônsul Geral no Rio de Janeiro e depois Embaixador em Budapeste, Nova Deli, junto da UNESCO e, mais tarde, junto do Conselho da Europa, em Estrasburgo

 
Foi o Ministro da Cultura do XXI Governo Constitucional da República Portuguesa.
 
Enquadrável numa estética pós-modernista, a sua obra revela um universo enigmático onde o fingimento e a sinceridade, o romântico e o clássico, a regra e o jogo conduzem às realizações mais lapidares e expressivas.
 
Manuel Alberto Valente nasceu em Vila Nova de Gaia, em Novembro de 1945, e é licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, cidade onde reside. Depois de uma breve passagem pelo jornalismo, tem dedicado toda a sua vida à actividade editorial.
 
Publicou quatro livros de poesia: Cartas para Elina (1966), Viola Interdita (1970), Os Olhos de Passagem (1976) e Sete (desen)cantos (1981), estando representado em diversas antologias nacionais e internacionais.
 
Em 2008, foi agraciado pelo Governo francês com o título de Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras.
 
Enquanto editor, Manuel Alberto Valente passou pela editora Dom Quixote e pela Asa, sendo actualmente director da Divisão Editorial e Literária de Lisboa da Porto Editora.
 
do evento aqui fica o registo considerado relevante pelo editor