os moliceiros têm vela (131)


a de alfinete

o cambar ou a roda dos moliceiros

o cambar ou a roda dos moliceiros

hoje quero dizer-te
um segredo

não existo

poucos o sabem
mas eu não existo

sou uma assombração
no dizer dos antigos

vim para incomodar
não para existir

por isso o meu nome
começa por a
como alfinete

vê lá não te piques

quem sabe, domingo dia 2 de agosto, vamos ver outra roda assim?

quem sabe, domingo dia 2 de agosto, vamos ver outra roda assim?

(murtosa; regata do bico: 2007)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s