ti jaime fernandes


 

 

Apresentamos-vos hoje um testemunho simples, resultante de uma experiência vivida com um casal avieiro da Chamusca, a quem poderemos chamar de “amigo”, mercê do acolhimento, sempre caloroso, que nos têm dispensado.

O Turismo de Experiência tende a ser um segmento com uma expressão cada vez mais forte, no vasto conjunto de oferta turística. Agregando a Cultura Avieira ao Tejo (da qual é indissociável), numa rota turística com elevado potencial, a vivência de situações expressivas do modo de vida desta comunidade de pescadores tenderá a marcar a sua própria imagem, incrementado a notoriedade necessária à sua afirmação.

Estamos certos de que a Cultura Avieira contribuirá para o desenvolvimento e a economia regionais, acrescentando valor às próprias comunidades e à preservação do seu património cultural, inquestionável na identidade dos municípios ribeirinhos e da população em geral.

À Ana Paula Pinto, autora do texto, e ao Carlos Vitorino, autor das fotos, endereçamos os nossos agradecimentos por este novo e sensível trabalho trazido directamente do nosso rio Tejo.

 

Gabinete de Coordenação

(Candidatura da cultura Avieira a património imaterial nacional e da Unesco)

Cultura Avieira – Um património, uma identidade

 

FOLHA INFORMATIVA Nº 24-2012_De redes vazias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s