ah! raiva


 

 

turvas águas estas

em que estranhos peixes

de pasta pendurada

na barbatana direita

fazem soturnas viagens

por estreitos corredores

sombrios

 

luras farejam e não caçam

portas escancaradas

relvas macias

os esperam

sequiosos de serem mais

que do dono a voz

 

ah! raiva de não haver

caçadores e tiros certeiros

por aí

 

(o lado negro da luz

é trágico)

 

marina pescadores, torreira