traz-me água


 

de saída

de saída

traz-me água

da mais pura que encontrares

para beber não será

que limpezas quero fazer

nesta terra (des)governada por estrangeirada gente

ao serviço de quem mais der

 

traz-me água

da mais suja que encontrares

para beber não será

baldes muitos encherei tantos quantas

cabeças houver onde os despejar

 

traz-me água

da mais pura que encontrares

que esta sim para beber será

sede que na garganta trago

seca de tanto gritar

 

traz-me água

não percas tempo a procurar

que a minha terra arde

e aos que o fogo atearam a todos quero afogar

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s