One thought on “crónicas da xávega (63)

  1. . . .o mar, de longe, precisa de amarras em terra. No dia 8 de Mai de 2015 17:38, “ahcravo’s Blog” escreveu:

    > ahcravo posted: “o mar de longe escrevo-me perdido na cidade afogado > em betão morrendo os dias descontados oiço o mar em mim (torreira; companha > do marco; 2013)”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s