postais da ria (84)


vai-se o tempo fica o tempo

o retrato do silêncio pleno

o retrato do silêncio pleno

tudo tem o seu tempo
nem sempre porém há tempo que baste
no tempo que temos

se sou tudo o que fiz
o que não farei é um eu ausentado dos dias
um já não estar onde

despeço-me de mim não fazendo
amputações fragmentadas
desta coisa corpo gasta pelo tempo

isto queria dizer-te por ser o que sinto
por ser o tempo em nós
sonho de continuar a ser no sobreviver

virá o tempo sem tempo sem mim

quando eu saí do retrato

quando eu saí do retrato

(ria de aveiro; murtosa; bico)