os moliceiros têm vela (135)


para o meu amigo dr. peres

o silêncio cobre tudo, espera-se

o silêncio cobre tudo, espera-se

não sei onde está agora
aquilo que do teu corpo
em cinzas tornado foi

recordo as tuas palavras
“então e o meu amigo como vai?”
e eu ia com a tua ajuda

a música a poesia a pintura
um mundo onde habitar
era ter um amigo dentro

cuidavas mais dos outros
que de ti
talvez por isso te descuidaste
e já não és

escrevo só para te dizer
obrigado
obrigado por teres sido

um quadro para a parede do dr. peres

um quadro para a parede do dr. peres

(torreira; regata do s. paio; 2010)

lembro-me agora, meu amigo, que nunca chegámos a comer, juntos, uma caldeirada de enguias