as vascas


as vascas
000000 ahcravo_ DSC_4140 vascas s

torreira; 2009

 
habitam um tempo
sem tempo
uma casa minúscula
para tanto
 
da areia ao betão
o peixe como modo de vida
 
quando jovens
andarilhas
levavam às aldeias
peixe do mar
 
em marcha acelerada
o pregão soava
pelas ruas
 
peixinho do mar
freguesa
 
são as vascas
e tanta torreira nelas
 
os moliceiros têm vela (365)

os moliceiros têm vela (365)


josé rendeiro (rebeço) e abílio fonseca (carteirista)
0 ahcravo_DSC9679

à esquerda ti zé e à direita o ti abílio ( aveiro; regata da ria; 2019)

 
os dois a rondar os 80 anos, o ti abílio com mais alguns e o ti zé quase por lá, são os resistentes de um tempo que hoje se revê nos moliceiros.
 
sem homens não há barcos, e estes homens estão quase a passar o testemunho, a idade é mais forte que a teimosia e o amor que os liga à ria e aos moliceiros.
 
há muitos anos que tenho por eles admiração, respeito e amizade.
 
queria deixar aqui o meu abraço a ambos e o desejo de que quem direito lhes reconheça o valor e o amor que sempre dedicaram ao emblema da terra: o moliceiro.
 
bem haja ti abílio, bem haja ti zé. se a ria tivesse ruas ou praças, certamente que duas teriam o vosso nome.