ahcravo_infinitas manhãs


baixo mondego

 

infinitas manhãs

de gestos suspensos

no vazio de não haver tecto

 

infinitas manhãs

de impiedosas mãos desfiguradas

num enclavinhar de dedos

na lisura das paredes

 

infinitas manhãs

de doridos olhos encovados na palidez do rosto

arrastando-se fundos pelo dia imposto

 

infinitas manhãs

porque não me deixais dormir ?