falemos de xávega


praia de mira - companha do nelson

xávega etimologicamente tem raiz árabe: “xabaka”, que quer dizer “rede”

em termos genéricos é o que podemos chamar uma “arte de arrastar para terra”, tal como o “chinchorro”.

em 1774 é publicada em madrid a “memoria sobre la pesca de sardina en costas de galicia” de d. josef cornid saavedra, “regidor de la ciudad de santiago”.

nesta memória, cuja edição facsimilada me foi amavelmente oferecida pelo “museo do pobo galego”, é definida de forma clara a diferença entre as duas “artes de arrastar para terra”: chinchorro e xávega.

– chinchorro : rede de malha quadrangular, sempre com as mesmas dimensões e em forma de funil

– xávega : rede de malha quadrandular, composta por duas mangas e um saco. a malha tem maior dimensão junto ao calão e vai diminuindo até ao saco.

ou seja: é o formato da rede que caracteriza esta arte de pesca e não o barco, como alguns pretendem

a xávega noutras regiões do globo:

sul de itália : sciabica
catalunha: jabega
galiza: xabega