o meu povo


 

venho de muito longe

da fronteira

onde vida e morte

se confundem nos rictus

dos rostos

 

o meu povo

morre num silêncio

de gritos surdos

na brancura das camas

por entre luzes eternas

 

trago sombra nos olhos

de não haver

sol para lhe ofertar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s