JUDITH TEIXEIRA  [1880 – 1959]

JUDITH TEIXEIRA [1880 – 1959]


excelente artigo

POESIA Y OTRAS LETRAS

Créditos da imagem: https://www.lalineadefuego.es

Nos livros de história da literatura portuguesa a presença desta poetisa é praticamente nula. Mulher e intelectual que, junto a Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro, integra a vanguarda modernista portuguesa dos anos vinte do século passado. Mesmo assim, Judith Teixeira não deixa de ser um caso marginado das letras portuguesas.

Seu desafio era escolher o mistério do amor sáfico em versos de grande simbolismo e sensualidade nuna época de mudança dos paradigmas sociais impostos às mulheres. Para Judith o sexo não só indicava a dualidade do ser, mas sua bipolaridade e tensão interior. Para a sociedade portuguesa da época, a mulher era considerada como uma garantia para a reprodução dos valores morais e religiosos da sociedade. A aspiração social generalizada da maioria das mulheres era ser, como as das classes ricas, esposas e mães dentro da família, um modelo feminino que se estabeleceu na sociedade…

View original post mais 829 palavras