os moliceiros têm vela (428)


sou ainda

torreira; regata da ria; 2011
 esqueço-me
 com facilidade
 
 
 o tempo já
 não me chega
 porque curto
 para tanto
 
 
 lembro-me
 com dificuldade
 
 
 as palavras
 sobem a custo
 os degraus
 do poema e hesitam
 antes de
 
 
 escuto-me
 com acuidade
 
 
 perco-me
 muito
 encontro-me
 tanto
 
 
 sou ainda 

os moliceiros têm vela (413)


a outra regata

0 ahcravo_DSC3748

torreira; regata da ria; 2020

 
é esta a marca do dia
do ano
que esperamos
este só
 
a memória faz-se de
pequenas coisas
e de grandes gestos
 
há tantos meses
abraço nenhum
 
escrevo o dia
e o nele ter estado
dentro de um abraço
os amigos maiores
 
escrevo o dia
esperando escrita diversa
 
um tempo outro
sem máscaras
libertos afectos
 
até lá o que foi será
e não o apagarei
mascarando as máscaras