ti zé formigo


morreu ontem, 15 de agosto de 2020, o ti zé formigo (67 anos)

era um bom amigo, do que lhe conhecia, admirava a dedicação à esposa – em cadeira de rodas – e a alegria

tinha defeitos? quem não tem… fico triste e penso que a murtosa também

à família, em particular à esposa, o meu silêncio com um sorriso do ti zé dentro – lembrá-lo-ei sempre assim

ao ti zé formigo

não ti zé

não estou na murtosa

nem você agora


era nas regatas de moliceiros

ou bateiras

ou no são paio

que nos encontrávamos

havia sempre um abraço

um sorriso uma salvação


uma salvação ti zé

agora que ninguém o salva

lembro-me do tempo

em que na murtosa

as pessoas se salvavam


vão partindo os amigos

a família desse tempo

e eu vou partindo aos poucos

bocados de mim que se foram

pedaços de outros

que comigo ficam e são raízes


ti zé

você é uma raiz

que fica comigo

abraço do “senhor cravo”

(murtosa; 2019; figueira da foz; 2020)

hasta siempre luís

hasta siempre luís


hasta siempre luís

DSC_0012

oeiras; 25 de outubro; 2008

no dia 25 de outubro de 2008, luís sepúlveda esteve numa livraria de oeiras para autografar a sua obra.
quando o soube enchi uma mochila com livros e resolvi ir estrear a minha nova nikon d80 a oeiras, o autor de ” o velho que lia romances de amor” era obrigatório.
o dono da livraria, ao ver-me com a mochila e a saca da máquina fotográfica, perguntou-me de onde vinha e disse-o a luís sepúlveda que, depois de alguns minutos de conversa, começou a escrever as dedicatórias nos livros que eu levara na mochila.

DSC_0013 s

oeiras; 25 de outubro; 2008

perguntei se o podia fotografar, consentiu, e a seguir o dono da livraria perguntou-me se eu queria que ele nos tirasse uma fotografia aos dois.
desses momentos, ficam estes registos.
hoje, vou voltar a reler “o velho que lia romances de amor” e estar mais uma vez e sempre com luís sepúlveda

DSC_0007 s

oeiras; 25 de outubro; 2008

postais da ria (307)

postais da ria (307)


cigano dos afectos
 

0 ahcravo_DSC_3427

descanse em paz ti antónio

regresso e a minha ausência
foi também a ausência de outros
definitiva
 
como está o teu pai
partiu em outubro
 
você já cá não vem desde quando
e são avcês doenças que
 
regresso e não são só abraços
sorrisos palavras boas
 
um dia quando não regressar
serei eu o ausente
 
sim
mas de uma comunidade onde
por não estar sempre presente
só se perguntará por mim
se perguntarem
depois
muito depois de eu ter partido
 
destino de cigano dos afectos
 
(torreira; 2016)
 

ti luísa, descanse em paz


0000 ahcravo_DSCN0572 - ti luisa

 

a ti luísa da calada faleceu hoje, dia 13 de julho

amanhã pelas 20 horas é o rezar na casa mortuária da torreira

era uma boa amiga e uma grande contadora de histórias da torreira.

com ela a torreira perde muitas das suas memórias e uma mulher que sempre conheci “virada para o mar”.

a todos os familiares o meu abraço amigo.