ria de aveiro: passado e futuro


 


o cisne e o pato

 

o moliceiro resiste ao passar do tempo, pela beleza, pela paixão daqueles que em tempo o utilizaram como ferramenta de trabalho.
resiste nas regatas, inteiro, amputado da vela nas viagens promovidas pelo turismo.
resiste, até quando?
entretanto a utilização da ria como pista de vela, de kyte surf, de surf, de vela; a ria adquire nova face.
neste momento breve, o que vai deixar de ser o cisne da ria, beleza primordial e eterna, cruza-se com um pato que prenuncia o futuro.
até quando cisne?
(murtosa – torreira – canal de ovar – em frente à bestida)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s