ir ao mar


barco: s. josé; companha: zé monteiro; praia de mira

de novo o barco se faz ao mar
sempre na busca do pão

entre gritos de alegria e medo
o barco avança de braços abertos

as águas abrem-se para o receber
a mãe não nega o filho
antes resiste e cede

a cena repete-se
o homem da máquina estava lá

um dia ambos desaparecerão
ficará só o mar