crónicas da xávega (36)


a escrita do tempo

a arte de aparelhar

a arte de aparelhar

a escrita do tempo
é arte outra

espera que o vento
fale de folhas
que o mar ruja ondas

não queiras dizer
o indizível

as tuas palavras
as nossas palavras
são o respirar de corpos
caminhantes
nada mais

ahcravo_DSC_9524_marco 11_aparelhar

(torreira; companha do marco; 2011)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s