crónicas da xávega (341)


sinto muito

 

0 ahcravo_DSC3083

 
do sentir às palavras
que o dizem
os poetas
 
escrevo apenas
porque é outra forma
de estar comigo
 
sei que não me traio
sinto muito
as palavras dos outros
 
sinto muito
que sejam o que são
 

“EPITÁFIO” de maia gomes


ahcravo_DSC_5594_quase_ep_mg
josé manuel maia gomes nasceu em espinho e morreu em coimbra, a correr no choupal, com pouco mais de 50 anos.
 
no intervalo fez a tropa, licenciou-se em electrotecnia, foi assistente, jogou xadrez, compôs música, escreveu, amou muito….
 
o maia foi poesia e nós, que convivemos com ele, somos as páginas do livro que nunca escreveu