crónicas da xávega (44)


os bordões seguram o saco para não rebentar ao peso de tanto

os bordões seguram o saco para não rebentar ao peso de tanto

quando o mar é mãe
não há pais que cheguem
para tantos filhos

o peso e... não venha uma onda traiçoeira e leve o que o mar deu

o peso e… não venha uma onda traiçoeira e leve o que o mar deu

(torreira; companha do marco; 2014)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s