crónicas da xávega (309)

crónicas da xávega (309)


devaneio
 
0 ahcravo_DSC_3455 bw.jpg
nua de bruços
corpo aberto em flor
 
esperas um deus
fugido do olimpo
eternizado numa estátua
de mármore na grécia
que visitaste um dia
 
nua de bruços
corpo aberto em flor
 
beijo-te a nuca
afago-te o crâneo
demoram-se no pescoço
os lábios
iniciam o caminho
que pela coluna
os levará até onde
um breve sulco
 
recomeço pelos pés
e subo lentamente
sinto nas pernas
o eriçar de pelos ínfimos
 
chego enfim à nascente
de ti
saboreio-te devagar
 
súbito
o corpo domina-te
estremece acende-se
 
então viras-te
0 ahcravo_DSC_3455
 
(torreira; 2013)

o primeiro do lanço do M. Fátima


ahcravo_DSC_9369 s

construído pelo arrais marco silva, na torreira, o M. Fátima fez o seu primeiro lanço no dia 11 de junho de 2016.

desses momentos, aguardados com ansiedade por familiares e amigos, fica aqui o testemunho para memória futura.

se já há 10 anos que é arrais, marco silva é também mestre construtor naval, com um moliceiro, um barco de mar, uma bateira mercantela e várias bateiras caçadeiras por si construídas.

ao novo barco, a este homem de sete ofícios e a todos os seus familiares e companha, desejo muitas e boas safras. possa eu assistir ainda a bastantes.

felicidades arrais/mestre marco silva

 

cróicas da xávega (168)


0 ahcravo_DSC_9533 bw s

haja mar! temos barco

11 de junho de 2016
o novo M. Fátima
foi pela primeira vez ao mar

longa vida ao barco
sejam fartas as safras
unida a companha

força arrais marco silva
mestre construtor de barcos
e de dias melhores

parabéns
a todos familiares
que neste dia

disseram: presente!

0 ahcravo_DSC_9533 s

um barco que parece voar

(torreira; companha do marco; 2016)

crónicas da xávega (163)


hoje sou memória

0 ahcravo_DSC_0639 bw

o M. Fátima

pesam em mim gerações
que desconheço

enterrados na memória
comum de um povo
os meus maiores

entre mim e eles o ser eu
a continuação
existo por que existiram
isso lhes devo

quisera soubessem que
os lembro
porque continuam em mim

hoje sou memória

0 ahcravo_DSC_0639

na areia um barco só pode morrer ou descansar

(praia da torreira; 2013)

M. Fátima: o bota-abaixo


DSC_7670

no dia 30 de abril, de 2016, às 10h da manhã, na rampa do porto de abrigo dos pescadores da torreira, todos os que puderam assistiram ao bota-abaixo do M. Fátima.

alguns, como eu, tiveram ainda o prazer de fazer uma pequena viagem na ria, sonhando já com a a primeira ida ao mar.

o M. Fátima ficará na história por 2 razões principais, que outras haverá:

– é primeiro barco de mar a ser construído na torreira
– é o primeiro barco de mar construído pelo arrais e não, como todos os outros, encomendado a um mestre carpinteiro naval
gostava de não o escrever, mas o M. Fátima depois de ser o primeiro em tudo o que atrás disse, pode também, e infelizmente,
ser o último barco de mar a ser construído. quem que a história me venha a contradizer.

por tudo isto estão de parabéns o arrais marco silva, albina amador, jorge carriço, ricardo silva e josé oliveira, cujos nomes ficarão para sempre associados à construção e pintura deste barco.

haja peixe e bons preços, que bons mestres e boa companha aqui temos, para que o M. Fátima trabalhe por muitos anos.

crónicas da xávega (156)


0 ahcravo_DSC_2653_largar m fatima 2012 a bw

e vai ao mar

enquanto o novo M. Fátima espera que as burocracias se completem para ir ao mar, aqui fica uma recordação de 2012, do barco agora em descanso.

brava gente esta, a dos homens da xávega. saibam respeitá-los e dar-lhes condições de trabalho.

0 ahcravo_DSC_2653_largar m fatima 2012 a

momentos de mar

(torreira; companha do marco; 2012)

M. FÁTIMA


no dia 26 de janeiro de 2016, começou a ser construído, na torreira, o barco de mar M. FÁTIMA. participaram na construção o arrais marco silva, albina amador, jorge carriço e ricardo silva. as pinturas de decoração foram obra do pintor josé oliveira.
 
o registo que aqui fica, uma breve entrevista com marco silva e algumas imagens do barco acabado, foi realizado no dia 22 de abril de 2016.
 
de admirar a capacidade de trabalho e a diversidade de artes em que o arrais marco silva intervém: arrais de mar, mestre de redes, mecânico e construtor naval – já lá vão uma bateira mercantel, um moliceiro (no ano passado) e agora um barco de mar.
 
como pode ser visto no registo é o primeiro barco com 2 motores, segurança que marco silva sempre pretendeu ter, bem como as dimensões e características do barco, de que dá nota na breve entrevista que lhe fiz.
 
seja este trabalho, uma homenagem a um amigo e grande homem do mar, da ria e da nossa xávega, chamado MARCO SILVA