o arribar em dois momentos


arribar (1)

o momento mais perigoso do largar da rede é o arribar do barco.

nesse momento o barco só tem como “fixe” a “mão de barca”, corda que traz do mar e que o arrais vai amarrando e desamarrando da bica da ré, até apanhar a onda certa que o leve “surfando”, sem perigo, até terra.

neste caso a corda ficou presa e o barco sujeito por momentos ao ímpeto das ondas.

nesta e na próxima foto poder-se-á ficar com uma pequena noção do susto que os pescadores “agarraram”.

e todos se salvaram

com as ondas a rebentarem em cima da ré do barco, a solução foi só uma:

os tripulantes saltaram todos do barco e foi feita a ligação dos cabos aos arganéis da proa e puxado o barco para cima.

à ré vai o arrais, marco, e agarrado ao castelo da proa o delmar viola.

o roçar na areia foi de tal forma intenso que foi necessário virar o barco em terra e aplicar uma nova forra ao fundo.

felizmente tudo acabou em bem

(murtosa – torreira – companha do marco)