sorri para ti


a porta

abre a porta

todas as portas fechadas

esperam por ti

o braço inicia o movimento de

a mão

 

onde antes silêncio sombra

pesos insuportáveis

súbito se transmutam

a porta abriu-se

tu

 

deixa os pés irem

pela casa caminhas

descobres

teia a teia desfazes

a arte das aranhas dobrada

ao peso do pó e do tempo

 

abre a porta

sorri para ti

(s. pedro do sul; serra da gralheira; covas do monte)