crónicas da xávega (40)


entre dois lanços

a reinvenção dos bancos

a reinvenção dos bancos

haver homens
uma bucha
um copo de sumo
um iogurte fruta

o fim de um mito

o mar em frente
o tempo incerto

a espera
não desespera
é

a bucha da longa manhã

a bucha da longa manhã

(torreira; companha do marco; 2014)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s