os moliceiros têm vela (58)


lembrando drummond

não se veleja sem vento

não se veleja sem vento

que coisa é o homem
carlos?

mercadoria
se calado pouco vale
se trabalha dá lucro
se doente prejuízo
se morre despesa

que coisa é o homem
carlos?

à mesa do orçamento
discute-se o seu valor
que não vale tudo

o valor do homem
tem limite na despesa
no controle do défice

a vida não tem preço
quem foi que disse isso
carlos?

à mesa da negociação
a vida é lucro anormal
o mercado contabiliza
o preço do homem
em dólares em euros
carlos

lembrei-me de ti hoje
por causa de ontem
“a si apanho-o !”
“não quero morrer !”
entrando pelas casas
gritado no rosto de quem

que coisa é o homem
carlos?

a força de querer ser
ou nada

de camões "engano ledo e quedo"

de camões “engano ledo e quedo”

(murtosa; regata do bico; 2010)

os moliceiros têm vela (56)


para o arrais marco

ricardo e sérgio, um barco, 2 filhos, um sonho que foi para aveiro

ricardo e sérgio, um barco, 2 filhos, um sonho que foi para aveiro

como as árvores
os amigos

como os diamantes
raros são

um barco voga lento
um amigo dentro

quando o homem é barco só lhe resta navegar

quando o homem é barco só lhe resta navegar

(torreira; regata do s.paio; 2010)

os moliceiros têm vela (55)


das palavras

uma imagem centenas de vezes repetida, mas que nunca cansa

uma imagem centenas de vezes repetida, mas que nunca cansa

gastar as palavras
como se coisas de uso
gastá-las de tanto

gastar-me com elas
ser palavra
sem palavras para

ser o espaço em branco
ou as reticências
seria o destino perfeito

ponto final parágrafo

um moliceiro que se preza é assim

um moliceiro que se preza é assim

(murtosa; regata do bico; 2007)

os moliceiros têm vela (54)


o fio do tempo

enrolada a vela no mastro, o zé rito espera

enrolada a vela no mastro, o zé rito espera

fazer do hoje
um ontem
de que o amanhã
se orgulhe

pesado fardo este
de tão fino fio
ser tecido o pano
que o corpo cobre

de frio tremerá
quem mal o tecer

o bonito vende bem,  a  beleza não tem preço

o bonito vende bem, a beleza não tem preço

(torreira; regata da ria; 2011)