apelo de uma árvore


0 ahcravo_DSC_3703

aqui onde me vês
cresci para as nuvens
e para a terra
sou mais que ninguém
d’aqui

não tenho pernas
tenho raízes fundas
que me prendem

não tenho corpo
tenho tronco que te abriga
não tenho braços nem dedos
tenho ramos e folhas
que te fazem sombra
e te protegem da chuva mansa

não falo
não reclamo
não grito

espero que tu
que tens pernas braços dedos
e voz sejas agora
o que eu para ti fui

o abrigo
a defesa
o amigo

aqui
na rua joaquim sottomayor
onde marcaram quatro irmãs
para serem abatidas

não os deixes

0 ahcravo_DSC_3703 bw

(figueira da foz; 21 de julho, 2017)

os moliceiros têm vela (268)


frema

0 ahcravo_DSC_6863 bw

palavra da terra
das gentes
do serem dela
cheios alguns

deixo a frema
para que falem dela
e vejam
no homem a frema
de ser
e só assim continuar

o que é a frema
pergunto-vos

0 ahcravo_DSC_6863

(torreira; regata do s. paio; 2016)

o filme continua com

“o tempo do moliço”