mãos de mar (40)


ser sem o outro

por dentro dos dias
sempre por dentro dos dias
abrir os braços aceitar

aprender com o tempo
saber cortar
o que de podre nele

numa outra mão os dedos
prendem o que de são

o esquecimento chega
como se uma manhã súbita

não és outro
és sem o outro

0 ahcravo_DSC_1142 s

(torreira; remendar rede)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s