a beleza do sal (37)


tenho sede

tenho a boca seca
de tantas palavras
e tão pouco nelas

como são pequenas
querendo ser algo
intenção apenas

um copo de água
um abraço
um ombro onde

escreva o poeta
poemas
eu quero gestos

tenho sede
da que se mata
com água

0 ahcravo_DSC_3536

(armazéns de lavos; achegar; 2017)

Anúncios

a beleza do sal (24)


achega

0 ahcravo_DSC_4294_

achegar

fácil julgar o ontem
com os olhos de hoje
tão fácil que até tu
de juiz te vestes

papagaio

(morraceira, salina dos doutores; 2017)