murmuramos muito


 

 

o salvador belo, larga a a solheira

o salvador belo, larga a  bóia, assinalando um andar da solheira

pelos caminhos feitos
de passadeiras cobertos
os que do suor só sabem que nunca
vão para longe pela mão dos que
vão e vêm bastas vezes
vêm e vão as mesmas

e nós
nós aqui a dizer que sim
porque nada dizemos em voz alta
mas murmuramos muito
porém
deram-nos a voz para falarmos alto
dizermo-nos

no silêncio da ria
as palavras também vêm na rede
as que escrevo

as que te queria ouvir dizer
de pé

(ao longe, muito perto, o meu amigo salvador belo, larga as redes da solheira)

companha do marco: a inovação das muletas


 

 

a colocar as muletas

a colocar as muletas

 

já tinha dito noutra publicação que uma das inovações da companha do marco em 2011, tinha sido o novo desenho da muleta.

tradicionalmente a muleta era uma vara única que se apoiava numa peça de metal fixa na ré do barco. na praia de mira, os tractores têm uma peça metálica, em forma de “V” que encaixa na ré do barco abraçando-a, noutras praias o barco vai ao mar em cima de uma plataforma com rodas que vai pela areia empurrada por um tractor e entra no mar, largando o barco.

o marco criou um sistema de muleta composto por duas varas, que entram numas cápsulas de metal colocadas lateralmente na ré do barco e no tractor.

com este sistema o barco entra a direito no mar, sem necessidade de regeira e é muito mais seguro.

neste registo, vê-se o encaixar das muletas nas cápsulas de metal.

 

(torreira; companha do marco; 2011)