recordo


reflectindo

 

sentado no banco
da memória
recordo

o brilho nos olhos
as caravelas velas pandas
das navegações sem retorno imaginado
o aroma das anémonas
sem terra à vista

a música a desprender-se
das coisas
sem pauta nem maestro nem instrumentos
a música de dentro
em clave de sol e sonho

braços por dentro de braços
e mais braços ainda
abraços tantos a abraçar

recordo

(ria de aveiro; canal de ovar; torreira; marina dos pescadores)

2 thoughts on “recordo

  1. Um poema desde blogue foi partilhado no Poesia Portuguesa para o passatempo “o poema mais comentado”, no passado sábado 24 de Dezembro.
    O poema mais comentado em Dezembro ganhará um prémio a exemplo dos meses anteriores, pelo que bastará divulgar o evento entre os seus fãs para se habilitar ao prémio.
    Um Abraço e Boas Festas

Deixe uma Resposta para ahcravo Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s