quando o mar trabalha na torreira_david carriço


david carriço

a rede chegou
o saco aberto a golpes de navalha
esventrado na areia
pelo volume adivinhava-se
quanto peixe

faltava saber a valia

o caranguejo
encheu o saco
de onde em onde uma sardinha
carapau lula

tudo junto não chega a nada
uma caixa de lulas miúdas
duas de sardinha
uma de carapau
quantas de suor ?

por vezes penso
que só mesmo por teimosia
ou por amor

(torreira; século XX)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s